Ninguém se banha duas vezes na água do mesmo rio.  Heráclito de Éfeso

Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém… Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim… E ter paciência para que a vida faça o resto…  William Shakespeare

(textos pelo Antigo Acordo Ort.)
Aside | Publicado em por

DEIXE-ME

Fale comigo, fale, por favor.

Não me deixe na angústia de não falar com você.

Deixe-me saber que está tudo bem.

Apenas faça contato, me deixe ver você, ainda que apenas na minha mente.

Você tem o dom de me fazer sorrir, ainda que brava, eu acabo sorrindo; você tem o dom de me fazer feliz. Ainda que triste, gosto de você.

Fale comigo. Não me deixe ansiosa e na espera de poder estar com você.

Deixe meu dia melhor. Deixe minha vida mais bonita. Deixe-me ter coragem de te dizer isso.

Não me deixe rodando por aí, como se buscasse preencher as horas. Quero estar ao seu lado. Mesmo que eu não queira, eu quero.

Mesmo que eu queira dizer deixe-me.

Deixe-me ver você.

Publicado em Poemas | Deixe um comentário

QUEBRA-CABEÇA

Um quebra-cabeça com muitas partes

E assim o dia, os dias, a vida vai passando. Em várias partes.

Às vezes se encaixam logo, às vezes teimo em encaixar, mas, depois, percebo que não era a hora nem o lugar.

As pequenas peças dão trabalho. Às vezes parecem tão iguais, e depois tão diferentes, parecem não pertencer ao mesmo quebra-cabeça. À parte, vou criando outro jogo, quem sabe não é isso mesmo?

Mas logo alguma outra pequena peça faz a ligação e tudo começa a fazer sentido.

No afã de conseguir montar, acabo por amassar algumas peças. Tento desamassar… talvez, no final, o amassado não sobressaia.

Há peças coloridas. Mas às vezes, quando olho, parecem ser todas cinzas.

O quadro vai se formando, com tantas pequenas pecinhas, de recortes tão variados. Mas, se olhar bem, há um padrão.

A imagem vai se revelando.

Eu, apenas eu.

Publicado em Poemas | Deixe um comentário

Link | Publicado em por | Deixe um comentário

MEU PRÓPRIO SHOW

Sou aquela criança que brinca sozinha

Que inventa seus próprios jogos

Cria suas próprias histórias

É fada, princesa, rainha

seus bonecos, seus súditos, seus amigos, ou… bonecos

 

faz seu próprio show

canta, dança, interpreta

 

é platéia, é público, é fã

 

os aplausos, ela mesma se dá,

os abraços, ela constrói

 

muitas em uma, e, assim, ela mesma, eu mesma, somente eu

Publicado em Poemas | Deixe um comentário

leve-me para fora

para onde possam me ver

quero público

quero pessoas

aqui está muito vazio

está frio

o som retorna

não vejo nada

quero a luz

quero o calor

me toque

me pegue

me leve para fora

depois, me proteja

diga que está tudo bem

e fique comigo até eu adormecer

Publicado em Poemas | Deixe um comentário

Eu lhe pinto do jeito que quero, com as cores que eu gosto, no tom que prefiro.

Sua voz, faço como meus ouvidos querem ouvir, e ouço o que você fala como espero escutar.

Sem lhe dar oportunidade, crio o momento perfeito e lhe faço refém dos meus sonhos.

Me entrego à força e lhe liberto apenas para o caminho que o trará a mim.

Não me importo com o que pensa ou com o que deseja, somente que me satisfaça.

Que sua companhia seja apenas minha. E que me ame, quer queira, ou não.

Publicado em Poemas | Deixe um comentário

Verdes anos dourados.

Olhos de diamantes negros.

Negros na cor; diamantes no fulgor. Um brilho que não se apaga.

Publicado em Poemas | Deixe um comentário